Tribo masai pede ações urgentes contra as alterações climáticas

Os membros da tribo masai, do Quênia, pedem uma “ação urgente” para lutar contra as alterações climáticas, apresentado-se como “as primeiras vítimas” deste fenômeno apesar de pouco ou nada contribuírem para o aquecimento global.

“O meu povo não anda de 4×4, não vai de fim-de-semana, não parte de férias de avião, mas sente os efeitos das alterações climáticas”, lamentou Sharon Looremetta, um masai membro de uma organização não-governamental, numa conferência de imprensa realizada à margem do encontro das Nações Unidas sobre o clima, que decorre entre os dias 6 e 17 de Novembro, em Nairobi, a capital do Quênia.”É uma enorme injustiça. Por isso, apelamos a uma ação urgente”, disse Looremetta.
Os masai, que constituem uma tribo distribuída essencialmente pelo Quénia e pela vizinha Tanzânia, “são os primeiros e os mais atingidos pelas alterações climáticas”, provocadas essencialmente pelas emissões de gases com efeito de estufa, relacionadas com a combustão de energias fósseis, como o carvão e o petróleo, afirmou.

“Tivemos muito pouca chuva nos últimos três anos, os animais morrem, as crianças não vão à escola, as mulheres passam a maior parte do tempo à procura de água e não estão ocupadas com atividades que permitem ganhar a vida”, lamentou Looremettta.

Segundo explicou, as crianças têm abandonado a escola porque “têm de andar à procura de água e de pasto” para os animais, que são o seu principal recurso.

Amanhã, vários agricultores e pastores, entre os quais os masai, vão participar numa marcha organizada, na capital queniana, contra as alterações climáticas.

http://www.publico.pt/Sociedade/tribo-masai-pede-accoes-urgentes-contra-as-alteracoes-climaticas_1276169

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Frase de reflexão.

” Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor da sua pele, sua origem ou ainda sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender; e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar”. Nelson Mandela

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Roteiro – Trabalho com Filmes sobre a África

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sugestão de filmes sobre a África

10 Filmes sobre a África

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sudão do Sul

Nos últimos tempos, a região sul do Sudão (país africano) era referida como Sudão do Sul, uma região autônoma que lutava pela independência política. Também conhecido como Sudão Meridional, o processo de independência foi iniciado em 2005, quando o governo sudanês concordou em conceder à autonomia à região a partir do Tratado de Naivasha.

Mapa mostra a nova fronteira entre Sudão do Norte e Sudão do Sul

O tratado foi assinado em 9 de janeiro de 2005, na cidade de Nairóbi, capital do Quênia, como forma de acabar com a Segunda Guerra Civil do Sudão. A decisão seria finalizada por meio de um referendo com os eleitores da região.

A maior cidade e capital da região é Juba. O referendo ocorreu no início de 2011, no dia 7 de fevereiro, foi publicado o resultado no qual confirmou a vontade de mais de 98 % dos votos favoráveis à independência. O resultado foi recebido com grande alegria pela população.

No Sudão do Norte a população é, predominante, mulçumana de origem árabe, enquanto que no  sul, a população é de origem negra, cristã e animista.  O novo país é rico em petróleo, mas grande parte da infraestrutura está na região norte.

Para afastar qualquer ameaça de novos conflitos armadas, o presidente do Sudão, Omar Hassan al Bashir, havia dito pela televisão que aceitaria e apoiaria o resultado da votação. Com esse resultado, o EUA já planejou retirar o Sudão da lista de países mantenedores do terrorismo no mundo.

O Sudão do sul nasce como uma nação pobre, carente de infraestrutura e energia elétrica, apesar de ser uma região rica em petróleo. Hoje, o novo país herda mais de 2 milhões de mortes causadas por mais de 40 anos de guerra civil travada entre os exército sudanês e o Exército de Libertação do Povo Sudanês.

O novo país tem o tamanho do estado de Minas Gerais, com cerca 8,5 milhões de habitantes. O Sudão, maior país da África, com a separação, perderá 25 % de seu território.

Apesar dos conflitos terem terminado, a situação social não melhorou, considerando a população feminina, 92 % das mulheres são analfabetas. A água potável é distribuída por uma empresa privada que disponibiliza caminhões tanque, mais da metade da população não tem água potável. O país não possui estradas e ruas pavimentas, o que prejudica o trabalho de auxílio social de ong´s e da ONU.

Fontes:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/856853-pais-que-deve-nascer-amanha-sudao-do-sul-tera-infraestrutura-caotica.shtml

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sudão_do_Sul

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/02/independencia-tem-988-em-referendo-no-sul-do-sudao-1.html

 

http://www.infoescola.com/africa/sudao-do-sul/

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sabores de Angola

Sabores+de+Angola

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Lenda do Baobá

O Criador inicialmente plantou o Embondeiro na bacia do Congo, mas a árvore queixou-se do encharcamento constante das raízes que fazia o tronco inchar.

Então, o Criador, mudou-a para as Montanhas da Lua da África oriental. Mas o Embondeiro continuou a refilar por causa da umidade desconfortável. O Criador acabou por enfurecer-se, pegou no tronco inchado, e atirou-o para uma parte seca de África. A árvore aterrou de cabeça para baixo, ficando com as raízes definitivamente no ar.
Em algumas partes da África, acredita-se que espíritos maléficos habitam as suas flores, e por isso, qualquer pessoa que apanhe uma flor será devorado por um leão. Em Madagascar, o Embondeiro de Grandidier (Adansonia grandidieri), é tido como o lugar de repouso dos espíritos; por isso, são feitas ofertas que são depositadas na sua base para assegurar fertilidade, boas colheitas e boa sorte.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário